PASSO A PASSO PARA CRIAR UM PLANO DE NEGÓCIO PARA SUA OFICINA.




VER TODAS NOTÍCIAS

PASSO A PASSO PARA CRIAR UM PLANO DE NEGÓCIO PARA SUA OFICINA.


Publicado quinta-feira, 17 de outubro de 2019 10:38:53


Passo a passo para criar um plano de negócio para a sua oficina

 

Ter um negócio próprio é lidar com desafios e correr atrás de soluções todo dia, não é mesmo? E, quando se trata da sua oficina, não deve ser diferente. Muitas vezes o tempo é escasso e os recursos também. Empreender tem suas dificuldades, mas, para garantir progresso e desenvolvimento, é preciso planejar. É preciso criar um plano de negócio para a sua oficina.

 

Você já ouviu falar em plano de negócio? Sua oficina já tem um? Se não tem, você sabe como elaborar o seu? E, se você já tem, será que o seu plano tem todos os itens necessários para ajudar sua empresa a se desenvolver e a crescer?

 

Pensando nessas perguntas, decidimos que uma ótima maneira de ajudar a garantir o sucesso da sua oficina seria fazendo um passo a passo de como criar do zero um plano de negócio para a sua oficina.

 

Vamos falar um pouco do que é um plano de negócio, da sua importância e dos passos que você deve seguir para criar o seu plano e, assim, conseguir visualizar com mais clareza onde sua oficina pode chegar! É hora de pensar no futuro, nos seus objetivos e nas maneiras para alcançá-los. Vamos lá!

O que é o plano de negócio para a oficina

Antes de mais nada, vamos entender melhor o que é um plano de negócio. Ele nada mais é do que um documento, seja no papel ou em formato digital, que determina os objetivos da sua empresa e os meios para alcançar esses objetivos.

 

Ou seja, ele não é apenas um resumo de algumas boas ideias ou de valores que você gostaria que sua oficina faturasse no final do mês. Ele é como se fosse um mapa onde você consegue estabelecer:

 

  • a identidade da sua oficina,
  • os objetivos de curto prazo,
  • os objetivos de longo prazo,
  • as ações diárias, semanais e mensais a serem tomadas.

 

Sem ele, é como se sua empresa navegasse sem rumo, sem orientação.

Por que é importante fazer esse plano

E é exatamente por isso que o plano de negócio é tão importante: com ele, fica estabelecida a direção que sua empresa deve tomar.

 

Talvez você saiba onde quer chegar, mas será que seus sócios sabem? E sua equipe? Eles sabem os objetivos da oficina? Um plano de negócio deixa bem claro os objetivos e as ações necessárias para garantir o sucesso da empresa, de forma que tudo fica registrado, sendo acessado por quem se interessar.

 

Além disso, um plano faz com que você e seu time se planejem e tomem medidas para cumprir o planejamento. Isso diminui possíveis riscos e ameaças ao seu negócio e faz com que todos estejam trabalhando juntos de verdade em direção a um objetivo comum.

 

Ao ler nosso passo a passo, você vai perceber que, ao fazer seu plano de negócio, você vai entender melhor sua própria oficina, o mercado de autopeças, os clientes e os concorrentes. Aí fica muito mais fácil seguir em frente com a empresa.

 

Em resumo, podemos dizer que um bom plano de negócio:

 

  • é a base da sua empresa;
  • organiza as ideias da equipe;
  • orienta as ações diárias de todos;
  • propõe um planejamento concreto para expansões futuras;
  • facilita o alcance dos seus objetivos.

Como fazer esse plano

Agora que você sabe como um plano de negócio é fundamental para o sucesso da sua oficina, vamos aos passos para você criar o seu, ok? Separamos os melhores passos de acordo com a visão de empresas renomadas, como o Sebrae.

  1.  Sumário executivo

O sumário executivo é um resumo do seu plano de negócio. Ele vem no início do plano, mas, como é um resumo, você só vai elaborá-lo no final do plano. Pode parecer estranho, mas funciona assim: o sumário executivo é feito para resumir os principais pontos do plano de negócio.

 

É como se fosse a planta da sua casa: quando alguém ler o sumário, vai entender seu negócio como um todo, vai enxergar a estrutura da sua oficina, mas sem ter acesso aos detalhes.

 

Por isso, o sumário vem em primeiro lugar: ele vai chamar a atenção de quem ler o plano de negócio e vai apresentar uma ideia geral da sua empresa. Mas, por se tratar de um resumo, você só vai conseguir escrevê-lo quando o plano todo estiver pronto.

 

Já que ele mostra os principais pontos, o sumário executivo deve apresentar:

 

  • uma definição do que é seu negócio,
  • a missão e os valores da sua empresa,
  • perfil do empreendedor,
  • seus produtos e serviços,
  • o segmento dos seus clientes,
  • a localização da oficina,
  • o investimento total,
  • indicadores financeiros,
  • informações jurídicas,
  • enquadramento tributário da empresa.

 

Não se preocupe se você não sabe ainda definir todos esses itens. Como mencionamos, você vai escrever o sumário depois de finalizar seu plano de negócio. Aí você vai saber definir tudo o que for necessário.

 

O importante é entender que o sumário não deve ser extenso, ok? Deve ter três páginas no máximo, ser simples e profissional e fornecer uma visão clara do plano como um todo. Pense assim: quem ler o meu sumário executivo vai conseguir visualizar de maneira geral como é minha oficina?

 

O sumário executivo então resume seu plano de negócios. Mas, logo depois, é preciso detalhar cada parte do planejamento da sua oficina.

  1.  Análise de mercado

Em primeiro lugar vamos falar do mercado. Você fará uma análise levando três pontos em conta: clientes, concorrentes e fornecedores.

  1.  Clientes

Quando falamos de clientes, precisamos entender quem eles realmente são e por que comprariam seus produtos ou serviços. Para isso, é preciso considerar alguns aspectos:

 

  • perfil do cliente,
  • interesses e comportamento,
  • localização física,
  • motivação para compra.

 

Existem outro pontos, mas esses são os principais. Em termos de perfil, você analisa dados demográficos, como: faixa etária, gênero, poder aquisitivo, escolaridade e outros. Além disso, leve em conta a localização física dos clientes: onde eles moram.

 

É preciso também prestar atenção aos interesses gerais deles e em seu comportamento. Por que vão para a oficina? Com que frequência buscam seus serviços? A resposta a essas perguntas vai ajudar você a identificar com mais precisão o perfil dos seus clientes.

  1.  Concorrentes

Depois, você procura analisar a concorrência. Seus concorrentes são as oficinas que oferecem produtos e serviços similares aos seus e que, principalmente, atendem clientes com o mesmo perfil que o dos seus.

 

Por isso, descubra como são:

 

  • os tipos de serviços a concorrência oferece,
  • os preços cobrados,
  • as promoções que oferecem,
  • o atendimento ao cliente;
  • as condições de pagamento.

 

Mapear seus concorrentes vai permitir que você aprenda com eles e saiba em que aspectos sua oficina está progredindo e em quais pontos pode melhorar.

  1.  Fornecedores

Por fim, entenda seus fornecedores. Eles são as pessoas e empresas que oferecem as matérias-primas e os equipamentos para a sua oficina.

 

Pense nos equipamentos e materiais que você mais utiliza na oficina. Já conversamos sobre os equipamentos que não podem faltar na oficina. Isso inclui desde ferramentas básicas e alinhadores de direção até elevadores automotivos. Depois, pesquise os fornecedores desses materiais.

 

Entenda a qualidade do produto oferecido pelo fornecedor, o preço cobrado, prazo de entrega e a confiabilidade. Assim, mapeando os fornecedores no seu plano, você conseguirá visualizar quais fornecedores são seus melhores parceiros.

  1. Plano de marketing

Depois de estudar o mercado, o próximo passo no plano de negócio da sua oficina é determinar o seu plano de marketing. Isso vai fazer toda a diferença para que você tenha uma oficina sempre movimentada e com orçamentos que você e sua equipe atendem com qualidade.

 

Para isso, você vai descrever:

 

  • seus produtos e serviços,
  • seus preços,
  • suas estratégias de venda e marketing,
  • sua forma de comercialização,
  • sua localização física.

 

Para descrever os serviços, primeiro faça uma lista deles, de tudo o que você oferece. Depois, pense em como você resumiria cada um para explicar para um cliente.

 

Então, com base nos seus custos, no preço do mercado, em quantos seus clientes costumam pagar e na sua margem de lucro, você vai determinar seus valores. Precificar pode ser algo complicado no início. Mas, aos poucos, você consegue visualizar seus custos e a demanda dos clientes. Não há problema em testar preços para chegar a um valor ideal.

 

Em seguida, quando falamos de estratégias de marketing e forma de comercialização, estamos nos referindo a:

 

  • equipe de vendas,
  • atendimento ao consumidor,
  • prospecção de clientes,
  • divulgação dos serviços,
  • uso das redes sociais como ferramentas para marketing,
  • uso de telemarketing,
  • campanhas promocionais.

 

Ou seja, é a maneira como você vai divulgar e vender seus produtos e serviços. Para definir esses itens, nossa dica é: planeje e teste. Faça um planejamento de como você vai entrar em contato com possíveis clientes, de quais pacotes promocionais você vai oferecer e de como sua equipe vai atender os clientes. Assim você estrutura aos poucos seu plano de marketing e coloca em prática estratégias eficazes.

 

Por fim, ainda como parte do plano de marketing, você determina a localização da sua oficina. Pesquise diferentes locais, levando em conta o preço do aluguel, proximidade dos clientes e dos fornecedores e qualidade da estrutura.

  1. Plano operacional

O quarto item do seu plano de negócio é o plano operacional. Mas o que é esse plano? Ele está relacionado à localização, mas trata especificamente do arranjo físico da loja. Em outras palavras, é como será a distribuição dos setores, equipamentos, móveis e materiais na sua oficina.

 

O ideal é fazer um esquema e, se possível, uma planta interna de como ficará a oficina. Assim você utiliza seu espaço da melhor forma, o que vai trazer benefícios, como:

 

  • aumento da capacidade produtiva,
  • melhoria na circulação de pessoas e produtos,
  • diminuição de desperdício de tempo e outros recursos,
  • layout atrativo para os clientes.

 

Afinal, grande parte do sucesso de uma empresa está no ambiente físico. Uma oficina bem planejada e estruturada é capaz de receber os clientes com conforto, potencializar o trabalho da equipe e evitar desorganização.

 

Novamente, lembre-se de planejar com calma e implementar mudanças aos poucos. Você não precisa investir mais do que pode. O importante é trabalhar com soluções práticas e econômicas no seu espaço.

  1.  Plano financeiro

E isso nos leva ao último item do plano de negócio da sua oficina: o plano financeiro.

Esse planejamento é, muitas vezes, temido pelos empreendedores. Afinal, queremos fazer o melhor possível com o menor investimento, de modo a ter uma margem de lucro saudável.

 

Mas será que isso possível? É aí que o plano financeiro ajuda você: com ele, você visualiza seus gastos e, então, consegue determinar os passos para alcançar o faturamento desejado.

 

Nesse plano, você calcula o total de recursos que precisará para iniciar ou dar continuidade à oficina. Para isso, você determina uma estimativa de:

 

  • investimentos fixos,
  • investimentos pré-operacionais,
  • capital de giro.

 

Os investimentos fixos são os bens que você precisa adquirir para a empresa funcionar, como equipamentos, peças, móveis e ferramentas.

 

Os pré-operacionais são os custos que vêm antes mesmo de você abrir a oficina. São as reformas na estrutura da loja, os treinamentos e cursos para a equipe e as taxas de registro e operação da empresa.

 

Já o capital de giro é composto pelos recursos necessários para que a empresa opere normalmente. Isso inclui:

 

  • estoque inicial,
  • matéria-prima,
  • despesas com contas e pagamentos,
  • financiamento de vendas.

 

Ao planejar os três itens do investimento, você saberá qual é seu investimento financeiro total e poderá prever com mais segurança o sucesso da sua oficina.

Quais ferramentas podem ajudar

Esse foi nosso passo a passo para garantir que você coloque no papel seu plano de negócios. Mas, para ajudar você ainda mais nessa tarefa tão importante, selecionamos duas ferramentas para você.

Consultorias

Se você tem o desejo de fazer seu planejamento, mas sente que, mesmo com o passo a passo, vai precisar de mais orientações, procure ajuda. Existem empresas especializadas e consultores profissionais que podem se reunir com você, entender sua empresa e auxiliar na elaboração do seu planejamento. Esse profissionais podem orientar você com segurança.

Sistema de gestão da oficina

Muitas vezes, porém, o investimento para contratar um profissional assim pode estar fora do seu planejamento no momento. Não deixe isso impedir você de fazer o plano da sua oficina, ok?

 

Uma das partes mais complexas de um planejamento é coletar os dados necessários e organizar as informações de modo prático. Um sistema de gestão da oficina ajuda você exatamente nesse ponto.

 

Com um bom sistema, você acompanha de perto a entrada e saída de estoque, fluxo de caixa, compras e vendas, aspectos financeiros e cadastro de clientes. Nossa sugestão é o Workmotor, um sistema que automatiza o registro dessas informações para agilizar seus processos. Sem contar que você não fica dependendo de papel e caneta e anotações imprecisas.

 

Ter um negócio próprio é trabalhoso. Mas a dica de hoje é que você se planeje e utilize as ferramentas necessárias para fazer o plano de negócio da sua oficina. Fazer isso será um investimento para o crescimento da sua empresa.

 

Se gostou do assunto e quer mais dicas de como administrar sua oficina, leia este post!

 


Pesquisar